domingo, 7 de fevereiro de 2010

ATIVIDADE FÍSICA E NUTRIÇÃO - RECEITA DE SAÚDE



Olá, trazemos aos nossos leitores intrigante assunto que transportamos do homem para os nossos passeriformes.



Muitos médicos na atualidade estão encorajando adultos mais velhos a se exercitarem com regularidade, como defesa contra as consequências de um estilo de vida sedentário, potencialmente prejudiciais à saúde. Bom, com facilidade transportamos essa abordagem para os nossos passeriformes, pois apesar de terem nascido em ambiente doméstico e o mundo deles, naturalmente, se circunscreve às gaiolas, ambiente em que nasceram, podemos afirmar que não basta, sob o aspecto mais saudável da criação, que o mesmo fique durante a sua existência confinado em sua gaiola, recomendando-se exercícios regulares, no caso, de vôo que poderão ocorrer em voadeiras, grandes viveiros ou mesmo grandes instalações de alvenaria voltadas para essa atividade, sendo que muitos as utilizam com inteligência na muda de penas, outros no pós-muda e ainda outros que além dos momentos anteriores, durante a semana, logo após retornar de uma viagem em que apresentou o passeriforme em torneio, nos três primeiros dias, visando desestressar o mesmo.


Com efeito, 'em uma pesquisa em University of illinois em Urbana-Champaign dada pelo jornal The Journal Brain, Behavior and Immunity: "Cientistas afirmaram que o exercício físico aumenta a imunidade". Do latim "immunitas", imunidade é um termo que significa proteção contra a enfermidade, e mais objetivamente, enfermidade infecciosa. A imunidade faz parte de um sistema de defesa chamado sistema imune.


O sistema imunológico, ou sistema imune, é de grande eficiência no combate a microorganismos invasores. Ele também é responsável pela "limpeza" do organismo, ou seja, a retirada de células mortas, a renovação de determinadas estruturas, rejeição de enxertos e memória imunológica. Também é ativo contra células alteradas, que diariamente surgem no nosso corpo, como resultado de mitoses anormais. Essas células, se não forem destruídas, podem dar origem a tumores.'


Ora, esse raciocínio se aplica ao homem e, penso, logicamente deve se aplicar a todo ser vivo de origem animal, no caso, os nossos passeriformes.


Os exercícios físicos trazem regulares benefícios como o desenvolvimento da musculatura, aumento da densidade óssea, fortalecimento de membros e diminuição de riscos de doenças crônico-degenerativas, havendo àqueles que creem que a atividade física é capaz de estimular células de defesa produzidas no organismo, sendo importantíssimo também uma correta e balanceada alimentação.


Criadores como o nosso amigo Dimas do Criadouro Mineirinho (http://www.criadouromineirinho.com.br/), há tempos vêem se utilizando de espaço próprio em alvenaria para que seus curiós façam a muda de penas em coletividade, se exercitando naturalmente, o que possibilita uma melhor condição física e saúde para enfrentar a temporada seguinte de reprodução, como podemos constatar em vídeo postado no YouTube (http://www.youtube.com/user/lissonixr188).

Particularmente, todos os meus curiós a partir da primeira muda de preto, ou seja, quando ficam adultos, no pós-muda ficam em voadeira de 1,5 m por no mínimo 30 dias e no máximo 60 dias, o que fomenta inclusive um aumento da capacidade respiratória, facilitando a repetição de canto, sendo que na temporada de torneios, em alguns, na segunda-feira seguinte ao retorno da viagem, até na quarta-feira, durante o dia ficam na voadeira e à noite vão para a sua gaiola, numa atuação diária da vida de um atleta, no caso de canto, saindo de manhã para a "academia" para se exercitar o dia todo, voltando ao final do dia para a sua "casa" para descansar e repousar.

Acho que vale a pena refletir sobre essa importante questão !

Abraços a todos,
O Editor

FONTE: BORGES, Ariela. Reis, Eduardo. Exercícios e Imunidade. ed. 55. Revista Meio&Mídia Cult. p. 76-7

3 comentários:

  1. excelente materia Pecego, parabéns

    ResponderExcluir
  2. Bom Pêcego, a cada dia aprendo mais, obrigado. Incrivél o video do youtube com os curiós soltos, são muitos. Só me pergunto se isso não interfere na ordem dos machos, apesar de na natureza durante a muda eles viverem em bandos,tem machos de cativeiro com ordem incrivel para briga, será que isso não interfere, e poderá causar eventualmente algum desastre entre machos e também femeas?

    ResponderExcluir
  3. Obrigado Altair !

    André, o Dimas não tem falado nada a esse respeito, e até entendo porque na época da muda os machos estão com a testosterona baixa, por isso acho que não interfere, basta vc verificar nos seus curiós a mudança de comportamento quando estão na muda de penas. Abraços,

    ResponderExcluir